A justiça liberta os oprimidos

A liberdade para crer em Deus é uma virtude que passa pelo coração

Jesus nos mostra neste evangelho de Mateus 8,5-11, que a justiça é ação libertadora, que ao encontrar pessoas em situações difíceis, liberta-as para uma vida nova. Veja como o centurião se compadece pelo seu servo (v.6). Realmente, somos tentados a ver milagres de Jesus como feitos extraordinários que só Ele pode realizar, porque era Filho Deus. Ora, nós também somos filhos e filhas de Deus e somos convocados a fazer os mesmos milagres, praticando a justiça.

Os milagres são  modelos de ação que todo discípulo é chamado a concretizar. De fato, Jesus tomou nossas dores, enfermidades e carregou-as consigo, tirando nossos males (v.7). Ele realiza o bem e a justiça, afinal é o verdadeiro Deus que liberta o ser humano. É o caso daquele que se compadece do irmão, como fez o centurião, pois ele entendeu que a fé ultrapassa qualquer situação difícil. Ele confiou em Jesus e tomou a dor do companheiro pedindo que o curasse.

Jesus faz acontecer vida digna, como Deus quer. Exemplo do soldado revela que Jesus atende ao pedido de um pagão e agindo em terra estrangeira, mostra que a justiça do Reino não se limita ao quintal do povo de Israel. Todos são verdadeiramente filhos de Deus e Deus quer liberdade e vida para todos. Como a Lei judaica proibia um leproso aproximar-se das pessoas ou tocá-las, Jesus então quebra essa Lei e edifica a vida nova, buscando curar todo aquele que necessitasse, em qualquer circunstância. Nesse caso, a justiça é feita por Jesus, curando e devolvendo a dignidade para a pessoa enferma. Ele ainda afirma a fé de um homem pagão: “em verdade eu vos digo, em ninguém de Israel encontrei tamanha fé” (v.10).

Tudo indica que Jesus ensina aos fariseus que a dinâmica da vida está atrelada na capacidade de entender o mistério de Deus. A liberdade para crer em Deus é uma virtude que passa pelo coração, principalmente quando se ama o irmão. Isto significa a fé do centurião pelo seu desejo de curar seu servo. E Jesus nos indica este caminho de liberdade.

“Senhor, tu que assumiste as nossas enfermidades e suportastes as nossas dores, tem piedade de nós”.

“Cristo, tu, que tendo pena da multidão, passaste pela terra fazendo o bem e curando os enfermos, tem piedade de nós”.

Faça um comentário